A tecnologia está transformando diversas áreas da medicina e facilitando o tratamento e a cura de diversos males, especialmente o câncer. Pessoas que apresentam esse diagnóstico costumam apresentar não só problemas físicos como também emocionais que só prejudicam ainda mais a saúde. Para melhorar essa questão, a empresa OnConfort decidiu usar a realidade virtual com esses pacientes.

A ideia veio de maneira interna, quando Diane, a fundadora da empresa, conviveu com um portador de câncer dentro da família. Apesar de ter feito tudo o que podia para reduzir a dor dos entes queridos, não foi possível pela forma convencional. Com a insatisfação causada por esses métodos, ela resolveu inovar e criou com o sócio a empresa.

Assim como essa empresa, outras e demais profissionais de saúde estão usando a realidade virtual como uma alternativa ao tratamento de diversas patologias. Além do câncer e outras doenças mais graves, esse método está sendo bastante utilizado por psicólogos, psicanalistas e psiquiatras para tornar o tratamento mais rápido e eficaz.

Dificuldades no enfrentamento do câncer

Quem enfrenta um diagnóstico de câncer e todo o tratamento que vem na sequência, passa por uma onda de estresse e muita ansiedade e a dor é ainda um agravante de toda essa situação.

A maioria dos tratamentos de saúde que conhecemos hoje, fazem uso de medicamentos para controlar esses sinais e sintomas. São medicamentos psiquiátricos que podem causar diversos efeitos colaterais e dependência em alguns casos. Por conta disso, algumas clínicas estão fazendo de uma forma diferente: estão utilizando a tecnologia da realidade virtual para reduzir os conflitos emocionais apresentados pelos pacientes.

O que é realidade virtual?

É uma tecnologia que simula a realidade e é capaz de enganar os nossos sentidos criando um ambiente virtual. É possível criar efeitos visuais altamente realistas, sonoros e até mesmo táteis em casos de tecnologias mais avançadas. É uma imersão completa no ambiente criando uma interação com o usuário.

Inicialmente, foi utilizada como uma forma de entretenimento, mas hoje pode ser aplicado em mais diversas áreas das nossas vidas e, principalmente, na saúde. É possível encontrar diversos óculos de realidade virtual que conseguem oferecer efeitos incríveis e ajudam o paciente a relaxar, estimulando determinadas áreas do cérebro.

Como a utilizar tecnológico esse recurso?

O tratamento com realidade virtual é usado ao mesmo tempo em que pacientes estão passando por alguns procedimentos como quimioterapia, ressonância magnética e outros, amenizando os transtornos. Veja abaixo as aplicações da realidade virtual:

  1. Aqua: tem como objetivo reduzir a dor e a ansiedade criando um ambiente submarino e auxiliando, assim, no relaxamento do indivíduo;

  2. Kimo: bastante utilizada com crianças que têm câncer, consegue criar interessantes efeitos visuais, distraindo-as enquanto ocorre a quimioterapia;

  3. Stella: também bastante utilizada em crianças, tendo maior foco a redução da ansiedade;

  4. Spacio: também para a área de pediatria, ajudando a criança a se acostumar com os ruídos comuns do tratamento e de exames como o de ressonância magnética;

  5. Amo: mais indicada para procedimentos invasivos e de curta duração, usando técnicas de hipnose para relaxar o paciente, reduzindo o estresse.

Um estudo realizado conseguiu mostrar resultados animadores. Essas técnicas foram utilizadas por 20 médicos e em mais de 1.500 pacientes no continente Europeu e nos Estados Unidos. Além de pacientes oncológicos, ocorreram testes em cardiopatas.

De acordo com os resultados, o uso da realidade virtual cerca de 15 minutos antes dos procedimentos, conseguiram reduzir em 50% a ansiedade e em até 40% das dores de uma forma geral. O próximo passo é levar esse tratamento para centros médicos de grande porte e hospitais, mostrando a utilização prática desse tipo de tecnologia aplicada à medicina.

Como esse recurso pode ajudar as crianças?

Talvez o tratamento do câncer para crianças seja o mais complicado. Elas não conseguem compreender de fato o que se passa dentro do corpo e estão numa fase em que desejam brincar como as outras pessoas de sua idade. Ter que permanecer na cama de um hospital ou mesmo passar uma parte do dia sentada numa cadeira para o tratamento não é algo simples.

Por conta disso, a pediatria oncológica consegue ser bastante beneficiada com esse tipo de recurso. Pensando nisso, Piotr Loj, fundador da Virtual Dream Foundation, vem trabalhando em hospitais do câncer todos os dias depois do trabalho, utilizando realidade virtual para fazer com que as crianças consigam escapar, nem que seja por alguns minutos, da realidade do dia a dia.

Por meio da técnica, eles conseguem viajar para lugares incríveis, aliviando assim a saudade que muitos sentem de casa e até conseguem aprender a voar. Piotr também tem um projeto como esse voltado para pacientes que perderam os movimentos de alguma parte do corpo.

Em quais outros campos da saúde a realidade virtual pode ajudar?

Quem leva uma criança para tomar vacina sabe a dificuldade que é. As crianças morrem de medo da agulha, pois sabem que ela causa dor, mas como responsáveis, sabemos que elas precisam passar por isso para evitar maiores problemas no futuro.

No momento da vacina

Pensando nisso, uma clínica localizada na Califórnia utilizou óculos de realidade 3D exatamente no momento em que estavam recebendo a vacina contra o vírus da influenza. Após serem perguntadas sobre a dor que sentiram, as respostas foram surpreendentes: 75% afirmaram que sentiram menos dor e 52% sentiram menos medo em comparação àqueles que não usaram a realidade virtual.

Essa mesma estratégia também passou a ser utilizada numa rede de farmácias na Suécia e não apenas com crianças. Qualquer pessoa, de qualquer idade, pode fazer uso da realidade virtual no momento de receber uma vacina ou qualquer outra medicação injetável. É excelente para pessoas que têm algum tipo de trauma e um verdadeiro pavor de agulhas.

E a realidade virtual também chegou em um laboratório brasileiro. Quando a criança chega para receber a vacina, os óculos de realidade virtual são colocados e se começa a exibir uma animação 3D. A animação tem um enredo bem divertido no qual a própria criança recebe um poder especial e vira um super herói com a missão de salvar o reino.

A estratégia criada nesse caso é bem interessante: no momento em que a profissional passa o algodão com álcool no braço do pequeno, a animação informa que chegou o momento de aplicar o pólen de gelo e, no exato momento da aplicação da vacina, é também o momento em que a criança recebe o super poder. Essa tática ainda está sendo experimentada e até agora apenas 10 crianças a utilizaram.

No combate a fobias e transtornos de ansiedade

Sabemos que as doenças psiquiátricas e traumas que adquirimos durante a vida podem prejudicar significativamente os nossos relacionamentos com a família, com os amigos e também com os colegas de trabalho. São problemas psicológicos difíceis de tratar e, por isso, muitos profissionais resolveram aderir à realidade virtual para obterem maior êxito.

Por exemplo, vamos pensar em uma pessoa que tem fobia em viajar de avião. É possível simular que o paciente está dentro de uma aeronave viajando sem que ele saia do lugar propriamente dito. É uma forma muito mais segura e barata de controlar e resolver esse medo patológico, melhorando a vida do paciente.

A realidade virtual é, definitivamente, uma grande ajuda nos tratamentos de diversos problemas de saúde e uma alternativa mais “saudável” em comparação aos diversos medicamentos que podem ser utilizados.

Quer ficar atualizado sobre as principais novidades no mundo da saúde? Então, acompanhe o nosso blog!

Vertical Saúde ACATE

Author Vertical Saúde ACATE

More posts by Vertical Saúde ACATE

Leave a Reply

Cadastre sua demanda:
""
1
Qual seu desafio?
0 /
Seu nome
Empresa
Área de atuação
Previous
Next
Tenha acesso a uma seleção de projetos qualificados, contribuindo com a sociedade e participando do ecossistema de inovação que mais cresce no Brasil .   
""
1
Seu nome
URL Linkedin
Previous
Next
X